HOME

17 de fevereiro de 2017

#RESENHA - One Careful Owner: Love Me, Love My Dog by Jane Harvey-Berrick

Título: One Careful Owner: Love Me, Love My Dog
Autora: Jane Harvey-Berrick
Editora: Harvey-Berrick Publishing
Páginas: 234
Idioma: Inglês
AIN: B01MTW2T9B
Ano de Lançamento: 2017
Compre aqui: Amazon

SINOPSE: ATENÇÃO!
Este livro quebrará seu coração!

Alex está perdido e sozinho, com apenas seu cão, Stan para companhia. Ele não espera mais bondade de ninguém, mas às vezes a esperança pode ser encontrada nos lugares mais improváveis. Ele tem uma segunda chance de felicidade, mas há um lado sombrio em Alex, e uma razão para que mais de uma pessoa o tenha chamado de louco.
Como mãe solteira, Dawn está indo muito bem. Exceto que seu ex- é uma dor na bunda, sua irmã não está falando com ela, e sua vida amorosa está na lista em perigo.
Pelo menos seu trabalho como veterinária está indo bem. Até que um sujeito com cara de louco chega em seu consultório acompanhado por um cão velho com dor de dente. Ou talvez Alex Winters não seja tão louco afinal de contas, apenas... diferente.
Dawn percebe que ela o tratou da mesma maneira que todas os fofoqueiros na cidade o trataram - as pessoas podem ser muito cruéis.
(Sinopse traduzida pelo LE)

_____________________________________________________

Falou em amantes de animais, estou dentro! Quando vi a capa, achei bem sem sal, mas assim que li a sinopse, já coloquei o livro no kindle e comecei a ler. Dawn é mãe solteira e veterinária. Tem noção do quanto eu amo veterinários? Alex é arquiteto. Juntou veterinário e arquiteto, pronto, achei que o livro iria render cinco estrelas... mas não foi bem assim.


O livro é narrado em primeira pessoa por três personagens. A Dawn, Alex e é claro, o cão Stan. Meu Deus, as partes que ele narra são pequenas, mas são muito divertidas. Eu amo a inocência desses bichinhos e a autora soube inserir essa essência quando era a vez de Stan falar o que achava do mundo.
Eu sentei do lado de fora, apreciando o sol em minha pele, e o cheiro da terra. Eu lambi minhas bolas pensativamente. Eu era muito orgulhoso de minhas bolas - elas eram grandes e brilhantes e balançavam quando eu andava, um sinal contra a minha pele cor de areia. Fiz uma pausa para olhar para o chefe, meus olhos de chocolate simpáticos. Talvez se ele pudesse lamber suas próprias bolas, ele ficaria mais feliz. 
“I sat outside, enjoying the sun on my fur, and the scent of the rich dirt. I licked my balls thoughtfully. I was very proud of my balls — they were large and shiny and swayed pendulously when I walked, a punctuation mark against my sandy fur. I paused to stare up at the boss, my chocolate eyes sympathetic. Maybe if he could lick his own balls, he’d be happier.”  

Alex chega na cidade todo maltrapilho, com uma gagueira de dar dó, apenas acompanhado pelo seu cão velhinho chamado Stan. Logo ele precisa levar o cão para o veterinário, e chegando lá ele encontra Dawn. Ela percebe que ele tem problema com a fala e acaba sendo muito simpática, ao contrário dos outros funcionários. Logo aí a conexão deles, mais por parte da Dawn, fica visível.

Dawn tem uma irmã com quem ela não fala, mas ela é daquele tipo toda animada e pau pra toda obra. Eu adorei a personagem e eu me peguei torcendo para que Alex e ela ficassem juntos. Não gostei do papel que Dawn orquestrou na história. Ela é muito chata e cheia de mimimi. Sabe aquele romance que acontece alguma coisa, (ela acha que aconteceu) e vai embora, corre, some, sem tirar satisfação? Pois é, ODEIO gente assim e Dawn é exatamente essa pessoa. O que estragou a história pra mim foi esse romance sem sal que eles desenvolveram. Foi muito chato.

A gagueira de Alex tem um motivo. A irmã de Dawn não falar com ela, também tem um motivo. E eu achei legal essas implicações no meio da história e como elas foram desenvolvidas: devagar e bem pensado.

O começo do livro foi uma bela surpresa. A cada descoberta, a cada demonstração de amor aos animais eu ficava cada vez mais animada. Mas da metade para o fim, a história do livro foi ladeira abaixo. Como eu disse, o problema que eu tive com o livro foi esse romance sem noção.

Além do romance clichê, o livro acaba abordando uma coisa muito séria e achei bem legal: rinhas de cães. É um tema pouco abordado, na verdade, nunca li nada do tipo, e é também muito pouco noticiado. A gente sabe que existe e não é pouco. Alex sente que a missão da vida dele é ajudar esses animais a saírem dessa vida miserável e recuperá-los. Mas eu achei que a autora cometeu erros ao fazer a personagem da Dawn pouco carinhosa e sentimentalista quanto essas questões. Ela foi contra esse empenho de Alex em acabar com essas rinhas e eu fiquei: WTF!? Aí lascou tudo. Minha chateação com ela virou ÓDIO!

Houve muitas questões abordadas em um único livro e a autora acabou se enrolando aí. Ela misturou as coisas de uma só vez, não foi criando e desenvolvendo as situações de forma excitante. E foi por isso que eu dei somente três estrelas. Tenho certeza que se a história elaborasse melhor as características e sentimentos da Dawn, tudo teria ficado mais harmonioso. Porque um romance bem desenvolvido é quase tudo, não é pessoal?

Sei que esse livro tem conteúdo para as pessoas amarem, porque a questão animal abordada aqui é muito sensível e eu até chorei. Só que eu sou bem crítica quanto o desenvolvimento do enredo, e quando eu vejo esses erros, o resultado é visto na nota no goodreads e skoob. Mas eu recomendo ao amantes de animais!

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados