HOME

30 de junho de 2017

#RESENHA - #1 Dezesseis por Rachel Vincent

Título: Dezesseis
Autora: Rachel Vincent
Série: Brave New Girl
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 240
Idioma: Português
ISBN: 8550301531
Ano de Lançamento: 2017
Livro cedido pela editora

Compre aqui: Saraiva | Livraria da Travessa

SINOPSE: Em um mundo em que todos são iguais, uma garota se destaca por sair do padrão. Uma história promissora e de ritmo acelerado, escrita por Rachel Vincent, autora best-seller do The New York Times.

“Nós temos cabelos castanhos. Olhos castanhos. Pele clara. Somos saudáveis, fortes e inteligentes. Mas só uma de nós já teve um segredo.”
Dahlia 16 vê seu rosto em toda multidão. Ela não tem nada de especial – é apenas uma entre as outras cinco mil garotas que foram criadas visando o bem da cidade. Ao conhecer Trigger 17, porém, tudo muda. Ele a considera interessante. Linda. Única. Isso significa que ele deve ser defeituoso. 
Quando Dahlia não consegue parar de pensar nele – nem resistir a procurá-lo, ainda que isso signifique quebrar as regras – ela percebe que deve ser defeituosa também. Mas, se ela for defeituosa, todas as idênticas também são. E qualquer genoma com defeito descoberto deve ser recolhido. Destruído. Ser pega com Trigger não apenas selaria o destino de Dahlia, mas o das cinco mil garotas com o mesmo rosto. No entanto… e se Trigger estiver certo? E se Dahlia for mesmo diferente? Subitamente, a garota que sempre seguiu todas as regras começa a quebrá-las, uma a uma…


Dezesseis é um livro narrado em primeira pessoa pela personagem Dahlia 16. Dahlia possui 4.999 irmãs idênticas. Dezesseis designa a classe/idade. Ela trabalha na área hidropônica de Lakeview. Mas há pessoas trabalhando em várias áreas da cidade como cozinha, segurança, limpeza, etc: cada um possui suas responsabilidades ao que foi designado. 

Essas pessoas não foram geradas em úteros, estamos em uma época centenas de anos a frente, e a tecnologia evoluiu bastante. Como foram feitos por geneticistas em buscar de genes perfeitos para determinado trabalho, um defeito que for descoberto poderá resultar em um recolhimento de toda uma classe, isto é, uma eutanásia de 5 mil pessoas.
Qualquer coisas que fuja da norma está ameaçando a eficiência do sistema como um todo. 
Dahlia não tem permissão para se comunicar com ninguém além de suas irmãs, a não ser que seja estritamente necessário. Quando ela acaba ficando presa no elevador com Trigger 17, ela é pega num empasse. Dahlia se sente estranhamente atraída por ele. Ela deveria? É um defeito? Ela está colocando em risco a vida de todas as suas irmãs no momento em que interage com esse jovem.
Não consigo entender por que me sinto tão diferente ou por que encontrar Trigger 17 enfatizou todas essas diferenças.
Apesar de não serem "pegos", depois de semanas Dahlia ainda não conseguiu parar de pensar em Trigger e na atração que sentiu por ele. E pelo que parece esse sentimento é recíproco, porque ela recebe uma "lembrancinha" dele, o que a deixa mais aturdida. Depois disso eles acabam de metendo em problemas sérios que vão mudar o rumo da história deles dentro de Lakeview.

O desenrolar da história foi bem lenta, demorou um pouco para entender tudo o que estava acontecendo e como era a política dentro dessa cidade. Além disso não achei que houve muita química entre o casal, apesar de ser um livro infanto-juvenil, a gente sempre quer que o carinho seja visível e já que a autora quis que o romance deles desenrolasse tão rapidamente, tinha que ser no mínimo plausível. 

House um erro que me incomodou bastante, que é a cor dos olhos de Dahlia, que no começo é castanho e depois é mencionado como azul. Esse tipo de erro é um pouco difícil de engolir.

- Achei que estivesse preparado para morrer.
- Estou. Mas não estou preparado para ver você morrer.
Apesar das ressalvas, os últimos capítulos do livro foram emocionantes. Houve uma reviravolta que eu gostei bastante e incrementou a leitura, dando um gancho para o próximo livro (que ainda não foi lançado lá fora e tem previsão só para ano que vem). O mundo que a escritora inventou é muito legal, a escrita dela também é muito boa, mas faltou aquela paixão que faz com que nós leitores nos apeguemos à história e também aos personagens.

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. Olá, já ouvi falar nesse livro mas não me interessei em ler acho que a história não vai me agradar muito. Já vi vários erros desse em alguns livro referente a cor dos olhos. Seguindo o blog para acompanhar as novidades!

    www.mundofantasticodoslivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. amei as fotos, e a resenha está ótima, como sempre.
    quando li a sinopse fiquei super interessada, porque AMO distopia, mas agora q sei q é uma serie nao sei se vou ler tao cedo (motivo = mtas series começadas e ainda falta terminar de ler kkkk)

    ResponderExcluir

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados