HOME

8 de novembro de 2017

#RESENHA - #1 Nevernight por Jay Kristoff

Título: Nevernight
Autor: Jay Kristoff
Série: Crônicas da Quasinoite
Editora: Plataforma21
Páginas: 608
Idioma: Português
Ano de Lançamento: 2017
Gênero: Fantasia/Jovem Adulto
Skoob || Goodreads


Livro cedido pela editora

Compre aqui: Amazon | Submarino

SINOPSE: Há histórias sobre Mia Corvere, nem todas verdadeiras. Alguns a chamam de Moça Branca. Ou a Faz-Rei. Ou o Corvo. A matadora de matadores. Mas, uma coisa é certa, você deveria temê-la.
Quando ela era criança, Darius Corvere – seu pai – foi acusado de insurreição contra a República de Itreya. Mia estava presente quando o carrasco puxou a alavanca, viu o rosto do pai se arroxeando e seus pés dançando à procura do chão, enquanto os cidadãos de Godsgrave gritavam “traidor, traidor, traidor”...
No mesmo dia, viu a mãe e o irmão caçula serem presos em nome de Aa, o Deus da Luz. E, embora os três sóis daquela terra não permitam que anoiteça por completo, uma escuridão digna de trevas tomou conta da menina. As sombras nunca mais a largaram.
Mia, agora com dezesseis anos, não se esqueceu daqueles que destruíram sua família. Deseja tirar a vida de todos eles. É por isso que ela quer se tornar uma serva da Igreja Vermelha – o mais mortal rebanho de assassinos de toda a República. O treinamento será árduo. Os professores não terão misericórdia. Não há espaço para amor ou amizade. Seus colegas e as provas poderão matá-la. Mas, se sobreviver até a iniciação, se for escolhida por Nossa Senhora do Bendito Assassinato… O maior massacre do qual se terá notícia poderá acontecer. Mia vai se vingar.

Nevernight é um livro que mistura alta fantasia com romance jovem adulto em uma narrativa em terceira pessoa super especial. Eu chamo de narrativa especial, pois o narrador quebra a quarta parede e conversa com o leitor de uma forma que jamais presenciei antes. O narrador utiliza de notas de rodapé para nos informar peculiaridades sobre a história, além de ser muitas vezes cômico e expor sua opinião pessoal.

Nossa personagem principal se chama Mia, cujos pais foram assassinados na frente dela. Depois disso, mesmo muito nova, ela jurou vingança. E para cumprir essa promessa, aos dezesseis anos Mia se torna acólita da Igreja Vermelha para treinar e se tornar uma assassina de verdade e matar todos aqueles que destruíram sua vida e sua família anos antes.
Apesar de todos os quilômetros e todos os anos, a vingança não era motivo suficiente para tornar-se o monstro que ela própria caçava.
Não é uma narrativa fácil - o livro tem mais de 600 páginas e é um mundo completamente novo. O tempo todo somos bombardeados com informações de lugares, títulos, nomes, etc, e as vezes fica difícil de assimilar tudo. Mas durante a leitura as coisas vão se associando e a leitura passa a ser prazerosa.

A história é bem complexa e cruel, já que para se tornar assassina da Igreja Vermelha, nem Mia e nem os professores pegam leve, então várias situações extremas como lutas sangrentas e mortes brutais acontecem de forma muito detalhada.

Enquanto o treinamento segue, Mia acaba fazendo algumas amizades entre os acólitos e até rola um romance com cenas de sexo explícito. Ah, ela também faz uns inimigos que vão tornar essa preparação mais difícil e perigosa do que já é. Além disso, Mia não é um ser humano qualquer, ela é uma sombria, um título que ela não entende muito bem e nem nós leitores, mas que aos poucos vai se revelando à medida que ela evolui e se desenvolve como acólita. 

Mia é uma das personagens mais corajosas que conheci, e isso não é a toa. O Sr. Simpático, que é uma sombra, um não-gato que fala e que se banqueteia do medo dela, é um personagem muito leal, que faz parte de Mia, ao mesmo tempo que tem uma personalidade peculiar e cômica.


E o livro é todo assim: divertido, cheio de ação, amizade, amor, sofrimento, mágoa e reviravoltas insanas!

Apesar de ser um livro muito bem escrito e traduzido, só não favoritei porque também levo a parte física em conta. Nevernight foi publicado com páginas brancas, finas e com capa mole, sem ressaltos e verniz. O que é uma pena, pois é um livro que merece uma apresentação mais robusta.

Nunca trema. Nunca tema. E nunca, jamais, se esqueça.


Comente com o Facebook:

9 comentários :

  1. Oii Anne tudo bem?
    sabe que desde que vi esse livro no instagram uns tempos atrás eu tenho vontade de ler ele? Ele simplesmente envolve tudo que eu gosto. Descrições detalhadas, personagens fortes e um ritual onde o personagem se torna mais forte. Quero muito ler esse livro que parece ser diferente de tudo que eu já li.
    Beijos

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  2. Pelo que senti eu teria favoritado mesmo com esses detalhes de edição! hehehe
    Adorei! Recheado de emoção é como gosto!
    E esses autores que não tem filtro pra descrições é melhor ainda, apesar de chocantes sempre nos marcam mais né?
    As fotos são das mais bonitas que vc já fez Anne! Parabéns!!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Ameei as fotos e a parte estética está realmente brilhante, gosto de fantasia mas não sou a maior fã porém de alguma forma esse livro tem um chamado, ele cativa e nos instiga. Fiquei super curiosa!

    Um beijo, Carol
    blogcomv.org

    ResponderExcluir
  4. Ei! Tudo bem?

    Nossa, que livro mais complexo. Entretanto, isso não é algo que me afasta da obra, na verdade, me dá vontade de conhecer melhor. Sua resenha está incrível, com uma postagem com fotos maravilhosas. Fiquei surpresa ao ler "uma das personagens mais corajosas que conheci", mas isso me agradou demais e me deu vontade de ler logo.

    Beijos!
    http://www.as365coresdouniverso.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oii, primeiro que edição linda! Adoro livros que trazem ao leitor essa mistura de sentimentos a cada capitulo lido, que consegue surpreender mesmo contendo muitas descrições , nomes, fatos esse que mesmo que demoremos pra assimilar torna tudo mais interessante. Achei o enredo bem cruel kk mais fiquei bem curiosa para conhecer a Mia.
    beijos <3

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bom? Eu adoro a premissa desse livro, acho ela diferente de tudo que já vi e quero muito lê-lo. Os outros livros da série já foram lançados no brasil?
    Adorei a sua resenha, e as fotos estão incríveis. Muito bom saber um pouco mais sobre essa obra.

    Beijos
    Amor Literário

    ResponderExcluir
  7. Oi Anne!!!
    Eu amo quando o autor quebra a quarta parede, tira a impessoalidade da história e ajuda o leitor se aproximar mais da obra. Apesar de não gostar muito de fantasia, me vi tentada a ler essa obra. Acho que teria problemas com as páginas brancas também, porque as amarelinhas são ótimas para nossos olhos né? Pelo menos não cansa tanto. Enfim, acho que vou dar uma chance, me senti envolvida com essa fantasia.

    beijinhos!
    Cami
    http://leiturize-se.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Menina que diagramação lindinha desse livro, amei suas fotos.
    fantasia é um gênero que aprecio pouco, mas estou passando a ler mais o gênero, esse livro parece ser muito bom, eu também curto quando o narrador coloca o bloco de notas no rodapé , faz a história em si ficar mais interessante, bjocas e parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  9. Olá Anne! Esse livro tá mais pra terror que fantasia kakakakakka Nossa, e o maior livro que eu li foi de 400 páginas. Eu adorei sua resenha e tô curiosa com esse livro.

    Beijinhos, Jenni.

    sinopsedoslivrosjenni.blogspot.com

    ResponderExcluir

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados