HOME

20 de fevereiro de 2016

#RESENHA - RoomHate by Penelope Ward


Título: RoomHate
Autor: Penelope Ward
Editora: Penelope Ward Books (2016)
Páginas: 281
Idioma: Inglês
ASIN: B01BS7P3BE
Compre aqui: Amazon 

SINOPSE: Do New York Times best-seller autor, Penelope Ward, vem com um novo romance autônomo.

Partilhar  uma casa de verão com um companheiro de quarto gostoso-como-o-inferno deve ser um sonho, certo?
Não quando é Justin... a única pessoa que eu já amei... e que agora me odeia.
Quando minha avó morreu e me deixou metade da casa em Aquidneck Island, havia um problema: a outra metade iria para o menino que ela ajudou a cuidar.
O mesmo menino que se transformou em um adolescente cujo coração eu quebrei anos atrás.
O mesmo adolescente que agora é um homem com um corpo duro e uma personalidade fodona para combinar.
Eu não o tinha visto em anos, e agora estamos vivendo juntos, porque nenhum de nós está disposto a desistir da casa.
A pior parte? Ele não veio sozinho.
Eu logo percebo que há uma linha fina entre o amor e o ódio. Eu podia ver através desse sorriso de satisfação. Por baixo de tudo... o menino ainda está lá. Assim como a nossa conexão.
O problema é... agora que eu não posso ter Justin, eu nunca o quis mais.


Esse é o terceiro livro que eu leio dessa autora e como eu disse na outra resenha do livro Sins of Sevin, esse também não tem nada de novo e diferente, mas ela sabe escrever bem, sabe instigar o leitor a continuar lendo. Não achei a história tão bonita como a leitura anterior, porém, eu senti a mesma angústia de me por no lugar dos personagens.


Ela faz uma brincadeira com o nome, RoomHate, onde normalmente a gente vê Roomate, que é colega de quarto, e como ele acabou por odiá-la quando ela foi embora, ela trocou o Mate para Hate que é odiar em inglês.
Eu achei que a capa não tem nada a ver. Imaginava algo mais claro e veraozão, dada que a história é narrada na praia.

Mas enfim, Justin e Amelia tiveram uma amizade muito forte desde os dez anos de idade. Quando algo acontece na adolescência que a faz querer sair de Aquidneck Island, Justin fica de coração partido. E assim, com esse rancor e ódio dele direcionado à ela, se passa dez anos de silêncio até que a avó de Amelia, que praticamente criou Justin, morre, deixando a casa para os dois.

É assim que eles acabam compartilhando a casa nesse verão e você já pode imaginar o que acontece. Mas aí que tá, nada do que você imagina que vai acontecer, de fato acontece. Rs...
E eles demoram uma ETERNIDADE para ficarem juntos. Fiquei exatamente assim:


Mas achei o Justin muito sensato e maduro. Não foi nenhum amor fora do sério, aquele amor onde você põe a felicidade da outra pessoa sempre na frente. Mas foi um amor puro, angelical e real.
"A menina misteriosa com o tapa-olho.
A melhor amiga.
A fantasia adolescente.
A menina que roubou meu coração, em seguida, o partiu e levou com ela quando ela fugiu.
A amiga distante.
A companheira de quarto proibida.
A namorada".
E tem uma supresinha maravilinda que não posso contar, porque é spoiler, mas que tornou o final perfeito! 

Da maneira que tinha que "ser"...

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados