HOME

4 de abril de 2016

Cover Reveal, Viktor - Clarissa Wild



Foi revelada hoje a capa de Viktor, novo livro da autora Clarissa Wild. A previsão de lançamento é para: 17/04/2016.

SINOPSE:
Animal. Monstro. Fera. Isso é o que eles chamam Viktor Melnikov, o homem que se esconde no escuro... Mas até mesmo monstros precisam ser amados. No momento em que ele vê a menina contratada para dançar para ele, tudo deixa de existir. É uma sensação que ele está familiarizado... e anseia mais do que qualquer coisa.
Alexis Kidd vende seu corpo. Não porque ela quer, mas porque ela precisa. Uma menina tem que fazer o que tem que fazer para sustentar a família e sobreviver.
Agora ela deve dançar para um homem escondido atrás de um véu.
Mas quando o desejo de dar uma olhada fica muito forte... Alexis recebe mais do que ela esperava.
Mais do que Viktor estava disposto a dar.
Inspirado por um conto de fadas, VIKTOR é um romance contemporâneo independente pela autora Best-Seller pelo New York Times Clarissa Wild.
https://www.goodreads.com/book/show/29246596-viktor

A autora ainda disponibilizou 02 trechos (Tradução autorizada pela autora). Confiram:

Trecho 01

Trecho não editado - sujeito a alterações - Copyright 2016 Clarissa Wild

 A figura por trás da cortina move sua mão e a música começa a tocar. Fecho os olhos e respiro, eliminando os meus pensamentos, me transportando a um outro mundo. Neste momento já não sou Alexis, não mais aquela garota com todas as suas responsabilidades e história. Eu sou apenas uma mulher. Uma dançarina. Sedutora.
Quando as luzes se apagam, meus braços começam a se mover ao ritmo da música. Eu me dispo lentamente, sensualmente, colocando ênfase em cada polegada de minha pele como se fosse precioso. Eu lambo meus lábios e giro ao redor da cadeira, mostrando a minha pele nua quando meu vestido cai no chão e tudo o que resta é uma calcinha e sutiã.
Meu corpo se move em seu próprio ritmo enquanto eu danço, quase possuída. A música é o alimento que alimenta minha alma e leva a dor embora. Mas quando eu abro meus olhos e o vejo ali, não posso deixar de olhar. Mesmo através da cortina, que não é tão espessa como eu pensei que era, eu posso ver sua silhueta completa. Uma grande massa de músculos. Maior do que qualquer homem que eu já coloquei os olhos. Ele tira o meu fôlego, literalmente.
E todos esses músculos estão empacotados em um ponto.
Bem na frente de sua virilha.
Eu chupo uma respiração e balanço meus quadris com a música, assistindo suas mãos moverem para cima e para baixo, para trás e para frente. Meus mamilos apertam a partir da visão quando eu o vejo se masturbar na minha frente. Eu não deveria estar excitada, isto não é sobre mim, mas o meu corpo sabe o que gosta, e ele não se importa. Eu me pergunto se ele sabe que eu posso vê-lo... se ele ainda se importa.
Eu pisco e me viro de novo na cadeira, mas na segunda virada meus olhos não podem evitar mais. Eu devoro seu corpo, observando-o acelerar, se bombeando. Quanto mais duro ele vai, mais rápido eu me movo. É como se nós dois estivéssemos ancorado no momento, juntos pelo movimento. Os booms da música através dos alto-falantes, mas o silêncio entre nós é arrepiante.
Sexy, quase de um modo perverso.
Lambendo meus lábios, eu tiro meu sutiã e sacudo meus seios quando eu giro em volta da cadeira e faço a minha dança. Ele se vira para o lado lentamente, expondo o tamanho de seu comprimento, e oh cara... minha boca fica aguada, isso é o quão grande ele é.
Eu adoro observá-lo, mesmo que eu não deveria estar. Me lembro do aviso muito bem, mas que mal poderia fazer quando eu posso dizer que ele está gostando? E o engraçado é que é que eu estou realmente gostando também. Não é sempre que eu posso agradar a um homem sem tocá-lo... e que parece delicioso, mesmo quando escondido atrás de uma cortina. Deus, eu só posso imaginar como ele pode ser de frente.
Não há nenhum mal em fantasias, certo? Além disso, não é como se eu fosse vê-lo novamente... Além disso, sou uma menina fazendo o que tem que fazer para sair, e eu vou com certeza vou sair quando eu acabar com este trabalho.
Ansiosa para ver onde isso vai dar, eu acelero o ritmo e moo na cadeira o que faz ele me olhar. Eu o vejo atentamente por trás dos meus cílios,se certificando que não é muito óbvio. Gemidos suaves são audíveis por baixo do tom da música, criando arrepios pelo meu corpo.
Ele soa como uma maldita besta.
Quando a música chega ao fim, e eu faço o meu movimento final, ele se libera, e o silêncio retorna.
Eu espero, respirando fortemente, suor escorrendo pelo meu corpo, minha buceta latejando entre as minhas pernas. Nada acontece.
Mas deveria.
Ele nunca disse que eu poderia parar.



Trecho 02

Trecho não editado - sujeito a alterações - Copyright 2016 Clarissa Wild

— Diga-me a verdade, — eu digo, meus dedos cavando em sua pele. — Diga-me que eu te tratei mal. Diga-me como eu sou um animal. Um monstro. Alguém que todos temem. Quem não merece amor. Prove-me que estou certo.
Ela hesita e depois pára de lutar contra mim. — Não.
— Não me diga uma mentira, Lexi. Eu não quero ouvir isso. Você não tem que me seduzir mais. Estou farto de jogar.
— Eu não estou…
Sua respiração me capta tanto que trago uma mão à garganta. Eu não sei por quê. Talvez seja o medo que eu vi, me levando à loucura, querendo provar a mim mesma uma vez por todas que eu sou realmente aquele monstro que vejo no espelho. Ou talvez eu esteja errado, e eu quero lembrar como era tocá-la pela primeira vez... aquele primeiro encontro, em que nenhum de nós sabia quem o outro realmente era.
— Você me odeia? — Eu sussurro em seu ouvido, a minha língua brevemente lançando para lamber sua orelha.
Mesmo quando ela me teme e deseja sair, eu ainda quero tê-la mais do que qualquer outra coisa no mundo.
— Como eu não posso? — Diz ela, engolindo.
— Exatamente... como você não pode, — Eu rosno. — Mas você nunca vai me odiar mais do que já fazem. Mas você sabe o que também nunca vai mudar? O quanto eu quero você. Quanto eu preciso de você, porra. Eu nunca quis uma menina tanto quanto eu quero você.
Seu pulso corre sob o meu dedo, seus músculos da garganta apertando enquanto eu falo em seu ouvido.
— Eu não posso deixar você ir, Lexi. Você é a minha obsessão. Eu não consigo dormir. Eu não posso pensar. não posso comer. Não posso deixar de querer o seu corpo... ver seus olhos se iluminando... esse sorriso. Eu quero tudo isso.
Um pequeno suspiro escapa da sua boca enquanto minha mão serpenteia em torno de sua barriga nua e puxa para mais perto do meu corpo. — Eu odeio isso também... assim como você. Você é tão diferente. Tão diferente de tudo que eu esperava. Eu gosto disso.
Eu gentilmente pressiono um beijo em seu pescoço, e faz com que ela aperte a mão que está em torno de sua garganta. Mas ela não tenta tirá-la. Em vez disso, ela só pressiona mais forte.
— Eu não deveria estar aqui, — ela sussurra, seu fechamento olhos. — Eu não deveria ter vindo. Não deveria ter ficado.
— Mas você fez... Mesmo quando metade do tempo, a porta não está bloqueada. — Eu sorrio contra sua pele.
— Eu não posso... — Ela geme quando eu mordo seu ombro, deixando uma marca.
— Fique comigo, Lexi. Não tenha medo de mim. Ou você vai provar que eu sou o monstro que você disse que eu não era. 


O livro está em pré-venda, acessem:

Comente com o Facebook:

Um comentário :

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados