HOME

5 de julho de 2017

#RESENHA - Nossa Música por Dani Atkins

Título: Nossa Música
Autor: Dani Atkins
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
Idioma: Português
ISBN: 8580417252
Ano de Lançamento: 2017
Livro cedido em parceria com a editora

Compre aqui: Saraiva | Submarino

SINOPSE: Ally e Charlotte poderiam ter sido grandes amigas se David nunca tivesse entrado em suas vidas. Mas ele entrou e, depois de ser o primeiro grande amor (e também a primeira grande desilusão) de Ally, casou-se com Charlotte. 

Oito anos depois do último encontro, o que Ally menos deseja é rever o ex e sua bela esposa. Porém, o destino tem planos diferentes e, ao longo de uma noite decisiva, as duas mulheres se reencontram na sala de espera de um hospital, temendo pela vida de seus maridos. Diante de incertezas que achavam ter vencido, elas precisarão repensar antigas decisões e superar o passado para salvar aqueles que amam. 

Com a delicadeza tão presente em seus livros, Dani Atkins mais uma vez nos traz uma história de emoções à flor da pele, um drama familiar comovente que não deixará nenhum leitor indiferente.


Nossa música é narrado em primeira pessoa e inicialmente temos a visão de David e Joe no tempo presente. Logo depois o foco da trama é voltado para Charlotte e Ally, que estão no hospital na sala de espera aguardando notícias de seus respectivos maridos. 
Onde eu estaria agora se tivesse ficado com David e não com Joe? Nessa noite eu tinha a resposta: bem ali, numa triste e sombria sala de espera de hospital. Exatamente ali, sentada no escuro, esperando para saber se o homem que eu amava iria resistir até a manha seguinte. A única pergunta era... qual deles?
 David foi o primeiro para mim. O primeiro em tudo. Meu primeiro namorado de verdade, meu primeiro amor, meu primeiro amante e meu primeiro - e único - coração partido. Não sei bem quando tudo começou a dar errado.
Enquanto a história vai nos mostrando o que está acontecendo agora e em capítulos intercalados ela volta ao passado, narrando acontecimentos que nos levam novamente até os dias atuais. Pode parecer um tipo de escrita monótona, mas é o contrário. É fácil se vê na expectativa de entender o que aconteceu no passado, ao mesmo tempo que a curiosidade pelo presente aparece.
O passado e o presente não tinham o menor direito de estarem no mesmo lugar. No entanto, estavam.
Na época da faculdade, Ally teve um relacionamento muito complexo com David. Apesar de serem muito diferentes e brigarem sempre, era notável o amor que sentiam um pelo outro. Mas eventualmente Ally tem seu coração partido e o porquê e como, vai sendo esmiuçado gradualmente para o leitor entender que foi um processo, que aqui não temos um vilão e um mocinho, apenas os acasos da vida.
Alguém me disse uma vez que os relacionamentos terminam de duas maneiras: ou pouco a pouco, como a água gradualmente erodindo e desintegrando uma rocha, ou em uma imensa explosão, como um vulcão em erupção. Para David e para mim, não foi uma ou outra - foram ambas. 
Charlotte também tem um papel bastante importante na história, mas sou totalmente team Ally. Embora Charlotte não seja uma personagem má - também não é flor que se cheire - ela tem algumas atitudes desconcertantes. Essas atitudes incomodam, mas para quem está passando por um momento delicado como ela pode até ser compreensível em certo ponto. Então chega uma hora que é difícil torcer para alguém aqui. Todos estão sofrendo consideravelmente e todos nós reagimos de alguma forma diante disso.

Existe uma necessidade de união quando algo tenebroso se aproxima. Mas, às vezes, não importa quantas pessoas amadas estejam ao nosso lado, o golpe derruba você.
Além da escrita ser muito fluida, a história é bem tocante. Não tem nenhuma reviravolta épica ou algum segredo cabuloso desvendado, (tem alguns segredos sim, mas são facilmente elucidados assim que você entende a história) e mesmo sabendo o que provavelmente vai acontecer mais pra frente, é impossível não se sentir tocado quando a hora chega. 
Nós nos despedimos daqueles que amamos milhares de vezes durante a nossa vida: a cada vez que saem pela porta de casa, a cada vez que desligamos o telefone, a cada aceno de adeus. Só não sabemos qual dessas despedidas será a derradeira.
É um livro que te faz pensar no sentido da vida, de porque estamos aqui, de que forma podemos ajudar o próximo, ou seja, uma mistura perfeita para separar seus lencinhos e deixar se levar por essa história de amor, de compreensão, de aceitação e acima de tudo, a compreensão do que realmente é importante na vida.

Só não dei 5 estrelas porque no final achei que algumas palavras não tinham que ter estado lá e o último parágrafo também não. Quem for ler talvez vá entender meu incômodo.  
Ally não tinha a menor ideia se as palavras de David tinham sido ensaiadas ou se eram apenas reflexo dos sentimentos dele, ditas de improviso. Não importava. Ele tinha tocado a nota certa.

Comente com o Facebook:

Um comentário :

  1. Oi, Anne. É a segunda resenha que leio sobe o livro e a pessoa disse a mesma coisa em relação ao final. Eu adorei o livro que li da Dani, mas sempre tenho a impressão que vou chorar horrores com as obras dela, aí fico receosa de começar, mas pretendo.
    Beijo!
    https://leitoraencantada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados