HOME

28 de agosto de 2017

#RESENHA - A (R)evolução das Mulheres por Mindy McGinnis

Título: A (R)evolução das Mulheres
Autora: Mindy McGinnis
Editora: Plataforma21
Páginas: 344
Idioma: Português
ISBN: 8592783291
Ano de Lançamento: 2017


Livro cedido pela editora

Compre aqui: Amazon | Saraiva

SINOPSE: Três anos se passaram depois do assassinato da irmã mais velha de Alex. Mas, como de costume, a culpa sempre é da vítima e o assassino segue em liberdade.
Alex é uma menina forte e quer vingar o crime cometido contra sua irmã. Ela resolve atacar qualquer predador sexual que cruzar seu caminho. Por essa razão, ela escolhe usar a linguagem que conhece melhor, a linguagem da violência. Porém, numa cidade tão pequena, onde todo mundo conhece todo mundo, ela não passará despercebida.
Jack Fisher é o cara que todos os outros garotos desejam ser: o atleta perfeito, que desfila de braço dado com a garota mais cobiçada. Mas o que aconteceu na noite do assassinato fez com que ele voltasse totalmente sua atenção para Alex Craft. Ele deseja conhecê-la profundamente.
A (r)evolução das mulheres é uma reflexão forte sobre a cultura do estupro e todo o tipo de estereótipos e ofensas feitos contra as mulheres diariamente. Mindy McGinnis faz um trabalho sensacional e nos mostra que as agressões perseguem a vida não só das vítimas, mas também daqueles que estão próximos a elas. Ela atira na nossa cara o que precisa ser visto.


Comecei a ler o livro sem ter lido a sinopse, sem ter lido resenhas sobre ele e fiquei interessada na verdade com o que a capa mostrava para mim. Senti que seria algo envolvendo bullying e mulheres, mas de longe imaginei que o livro fosse tão profundo e impactante.

A (R)evolução das Mulheres é narrado em primeira pessoa por três personagens principais que estão vivendo o último ano do ensino médio: Efepê (que é a filha do pastor FP), uma menina que é sempre rotulada como a certinha, a filha perfeita; Jack, um dos garotos mais populares da escola que faz parte do time de basquete e se esforça para tirar notas altas com o intuito de ganhar uma bolsa de estudos para poder sair da sua cidade natal e Alex, a irmã da menina que foi estuprada e assassinada. 
A maioria das pessoas pensa em coisas que não faria na vida real, e isso lhe traz uma satisfação visceral suficiente para sublimar a emoção. Na verdade, fazer mal a outra pessoa de propósito não é uma tarefa simples, e não é todo mundo que está a altura dela.

Efepê e Alex trabalham em um abrigo de animais depois da escola e acabam desenvolvendo uma amizade, apesar de Alex ser uma pessoa muito introvertida e séria. A história é muito cruel e debate sobre vários temas impactantes, dentre eles crueldade contra animais, que me pegou de surpresa e que me fez gostar ainda mais da história.

Alex e Jack também iniciam uma amizade que se torna um romance especial. Tal romance não é o ponto-chave de toda história, mas que faz parte da vida de quase todo adolescente e tem sua importância. Temos personagens falhos que comentem erros e apesar de ser um livro sobre adolescentes, eles são maduros e não infantilizados. 
Vivo em um mundo em que não ser molestado na infância é considerado ter sorte.
Só que Alex embora tenha mudado pra melhor, possui um problema muito sério que vai aparecendo no decorrer da história e que nos deixa sem reação. Ela é retratada muitas vezes como uma heroína imperfeita, mas que tenta fazer o bem de uma forma não convencional. E isso não pode acabar bem.

- Estou te falando, Claire. Isso não importa. A roupa que você estava usando, sua aparência. Nada. Assiste um pouco daqueles canais sobre a vida selvagem. Os predadores sempre vão atrás da presa mais fácil.
No decorrer da história não entendia para onde a autora queria ir com os fatos que ela apresentava, o que não era ruim, pois com o tempo percebi que o objetivo dela era trazer à luz temas como feminismo, assalto sexual, cultura do estrupo e empoderamento feminino de forma clara e verdadeira, sem aquela necessidade de mostrar ao leitor um início, meio e fim previsível.
Mais "meninos são assim mesmo", é nossa expressão preferida e que serve de desculpa para tanta coisa, ao passo que para falar do gênero oposto, só dizemos "mulheres...", com um tom de desdém e acompanhado de um revirar de olhos. 
Os personagens que ela apresenta são muito bem desenvolvidos e complexos, que cometem erros, que têm relacionamentos familiares problemáticos, mas que também cultivam uma bela amizade e se juntam para apenas se divertir ou ajudar alguém. Aqui é mostrado nitidamente como as escolhas afetam um ao outro, como a vítima de estupro ainda é estereotipada, como ela ainda tem medo de denunciar e afetar a vida de outras pessoas ao redor e como isso deixa uma cicatriz interna incurável.
Hoje a noite, usaram as palavras que conhecem, as palavras que não incomodam mais as pessoas. Falaram "vadia". Disseram para outra menina que colocariam o pau na boca dela. Ninguém protestou, porque esse é o linguajar que a gente usa. Mas aí eu usei as minhas palavras, organizadas em frases que calam fundo, e as pessoas prestam atenção; as pessoas ficaram de boca aberta. As pessoas não sabiam o que pensar. Meu linguajar é chocante. 
Tudo isso é narrado de forma aberta, e por mais que o tema seja pesado, a leitura é inacreditavelmente leve, mas que marca o leitor profundamente. O final foi para mim algo totalmente inesperado e que além de todas as mensagens que a história trouxe ao longo da narrativa, proporcionou uma mensagem final ainda mais emocionante, que é a força da amizade e da união. 
Os livros não me ajudaram a encontrar uma palavra para me definir; meu pai se recusou a aceitar o peso disso. Então inventei. Meu nome é vingança.
A capa trás uma reflexão muito forte depois que a gente lê. A diagramação está linda, cheia de detalhes e de qualidade ímpar. Só preciso ressaltar que o uso excessivo de o e a antes dos nomes me incomodou bastante. Vamos, meninas, andem logo - diz a srta. Hendricks, levando a Sara, a Alex, a Branley, a Lila [...]

Achei A (R)evolução das Mulheres uma leitura SUPER válida, de enredo forte, mas verdadeiro e que nos trás muitos pontos para considerar sobre a vida e a sociedade. Apenas leiam!

Comente com o Facebook:

12 comentários :

  1. Oi Anne, vi teu post no insta e vim ler a resenha. Eu tô louca pra ler esse livro e tô esperando o meu chegar. Tenho certeza que vai ser uma leitura forte e reflexiva. Amei teu blog, é tão lindo seu layout *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Yara. Obrigada pela visita e pelos elogios. ♥
      Leia para a gente poder discutir sobre ele. Adoro!!!

      Beijos!

      Excluir
  2. Olá, eu fiquei com vontade de ler esse livro, eu gosto de ler livros com temática seria e que contém coisas que aconteceram mesmo sem a gente ter a real noção da situação. Vou substituir um livro na minha lista para poder comprar esse. Amei a resenha

    ResponderExcluir
  3. Gosto do "apenas leiam" é sempre sobre livros tão incríveis que fica difícil descrever!
    Esse é bem fora da zona de conforte e gosto muito de me desafiar com essas temáticas mais difíceis as vezes, com certeza ele vai pra lista de desejados!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  4. Oii Anne tudo bem?
    Nossa que livro impactante. Apesar de ser leve ele traz um assunto pesado e marca o leitor. Fiquei interessada nessa obra. Não somente pelo modo com o qual ela é construída, mas também pelo que ela traz.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Parece um livro bem impactante. Daqueles que chocam, mas também trazem lições. Adorei sua escolha e mais ainda sua resenha. As frases que você escolheu me deixaram ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
  6. Olá!!!
    Eu estou querendo MUITO ler esse livro.
    Parabéns pelo post, eu amei.
    Bjss

    ResponderExcluir
  7. Ei! Tudo bem?

    Que livro mais impactante e necessário para o universo. Nunca li, mas aposto que é um desses livros cujo a leitura é extremamente essencial. Fiquei muito interessada pela obra e estou muito ansiosa para conseguir um exemplar, quero muito ler. Sua resenha me deixou contagiada e emocionada sem ao menos conhecer o livro direito, fico muito feliz quando isso acontece. Parabéns!

    Beijos!
    http://www.as365coresdouniverso.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá, sua resenha está perfeita e as fotos incriveis, é a primeira vez que vejo esse livro e só pela sinopse já dar para perceber que é dos bons.
    Já quero ler o livro pelo tema abordado que realmente é forte , fiquei super curiosa para saber o desenrolar da trama e conhecer a Alex, adoro livros que se passam em escolas.já vai para minha lista de desejados. Bjus e bom domingo.

    ResponderExcluir
  9. Olá, primeiramente adorei as fotos hehe
    A proposta do livro é muito boa e aborda temas que devem ser falados e tem ganhado cada vez mais visibilidade.
    Adorei a resenha, muito bem escrita.
    Beijos.
    Amor Literário

    ResponderExcluir
  10. Oi, Anne! Como vai?
    MENINA, tô feliz só por você ter se incomodado com os artigos antes dos nomes hahahahha Achei que fosse só eu que ficasse irritada com isso. Nossa, no livro Princesas das Águas, da Paula Pimenta, tem taaaaanto artigo que eu queria tacar o livro na parede.
    Enfim, vamos falar sobre o que importa. Ouvi muita gente falando que queria ler esse livro, mas essa é a primeira resenha que eu leio, e fico contente por você ter gostado. Não sei se esse é o primeiro livro da autora, mas eu não li nada dela até agora. Gosto muito de histórias que tratam de assuntos mais sérios, e fiquei intrigada por você ter dito que ela escreve de maneira leve, porque geralmente a escrita é bem densa nesses casos. Espero poder ler qualquer hora.
    Adorei o seu blog!
    Beijinhos,
    Karol
    www.melodeoliveira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Oi Anne, tudo bem?
    Faz tempo que estou precisando ler algo assim, sabe? Que trata de maneira mais realística o que acontece na nossa sociedade. Fiquei curiosa com o final e se eu tiver oportunidade com certeza lerei!
    Beijos.
    Meu Livro Fantástico | Facebook

    ResponderExcluir

Assine a Newsletter

LINK ME!

Literatura Estrangeira

Mais Recentes

Literatura Estrangeira - Copyright © 2016 - Todos os Direitos Reservados